Z1\

estamos acompanhando as obras do canal do jordão , desde o seu inicio até o final. queremos agradecer ao governo do estado, em especial a secretaria das cidades, através da cehab, pelo inicio desta obra. o movimento de luta pelo revestimento do canal do jordão vem lutando por esse sonho e só através de um governo popular, estamos vendo ele sair do papel. além das obras do canal, você pode ver as postagens antigas, que mostra como conseguimos esta obra.
este blog é seu,
divulgue-O


sábado dia 17 de abril, a vergonha continua

object style="background-image:url(http://i1.ytimg.com/vi/dfky3fL94po/hqdefault.jpg)" width="425" height="344">

rede globo homenageia dilson por sua luta peo canal do jordão

dilson martins

assista dilson agradecendo liberação de verbas para o canal do jordão ao presidente lula.

reportagem da rede globo

PRA CURITR

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

OUTROS JORDÃO "NA COMUNIDADE DO JORDÃO, NO RIO DE JANEIRO. QUEM DÁ ORDEM SÃO OS TRAFICANTES"

25/11/2014 16h52

Traficantes disputam controle do Jordão e deixam moradores em pânico
Roberto Pereira

A disputa pelo CONTROLE do tráfico de drogas na região da Taquara, na Zona Oeste do Rio da Janeiro, espalha o clima de pânico entre os moradores do bairro. A guerra está instaurada desde agosto deste ano quando bandidos invadiram a comunidade do Jordão, território que estava sob o domínio de milicianos. A localidade faz divisa com a Taquara e o Tanque. Segundo depoimentos de moradores, quase todo o dia tiroteios amedrontam a população.
Comunidade do Jordão. Foto: Reprodução de vídeo
De duas semanas para cá, os confrontos se intensificaram e moradores não conseguem ter paz desde então. De acordo com relatos, em algumas favelas próximas, os bandidos estipularam toque de recolher sob a ameaça de matar quem desobedecer a determinação deles. O comércio FECHA as porta ao menor sinal de atividade. A página do Facebook Taquara da Depressão denuncia alguns dos absurdos que ocorrem nas proximidades do Jordão. Alguns usuários reclamam do descaso das autoridades, que não agem de maneira eficaz para pôr fim aos abusos dos traficantes.
A bióloga Talita Cristina Eugênio, 28 anos, é moradora do bairro Tanque desde que nasceu e a favela do Jordão fica atrás do prédio onde ela RESIDE. Talita relatou ao SRZD os momentos aterrorizantes que ela e a família passam durante os confrontos entre os bandidos e AGENTESda milícia. Ela denuncia tambem que os índices de assalto aumentaram na localidade da Zona Oeste.
"Eu moro bem em frente à favela do Jordão, e a situação está insuportável. É tiro todo dia, nós estamos assustados, tem noites em que conseguimos ver os traçantes no céu. Algumas pessoas estão se mudando daqui e das comunidades vizinhas. A polícia não faz nada e os criminosos fazem a festa. Bandidos do Morro da Covanca e da Nova AURORA invadiram a favela e não conseguimos ter paz. O número de roubos também aumentou. No domingo, assaltantes armados levaram um carro na Estrada do Catonho. Na [comunidade] Corupari, fiquei sabendo que os comandantes do tráfico ordenaram toque de recolher e quem desobedecer levará tiro", disse a bióloga.
Talita disse ainda que atrás do condomínio dela há uma região de mata fechada nas redondezas da favela. Ela conta que consegue visualizar a movimentação dos criminosos entre as árvores e isso a apavora. A bióloga reclamou também que os tiroteios não têm hora para começar.
"Lá no Jordão tem uma espécie de floresta que os bandidos cortam caminho para outros lugares. Do meu apartamento, posso vê-los andando e tem partes em que as árvores já foram arrancadas para facilitar a passagem deles. Eu fico me tremendo, mas o que posso fazer? É assustador", denunciou Talita.
O canal do Youtube "Ze Piqueta Praça Seca" postou recentemente três vídeos em que vizinhos da comunidade do Jordão gravaram a quantidade de tiros disparados. Em um dos vídeos, uma mulher alerta o filho para sair de perto da janela e se proteger CONTRA o risco de bala perdida.
O SRZD entrou em contato com a delegada Márcia Julião, titular da 41ª DP, no Tanque. Ela informou apenas que uma patrulha foi enviada ao LOCAL nesta terça-feira, 25, mas não enfrentou maiores incidentes. Segundo Julião, uma investigação foi aberta para averiguar as denúncias. O SRZD a questionou sobre ações dos bandidos no Jordão e a implementação de toque de recolher na favela do Corupari mas ela não respondeu aos questionamentos.
"Verificamos que existem tentativas de invasão por PARTE dos traficantes e instauramos um inquérito, hoje a minha equipe esteve na localidade, fizemos uma ação preventiva. Sobre as denúncias, já abrimos uma investigação para apurar as demandas dos moradores", relatou a delegada.
SOMOS SOLIDÁRIO COM COMUNIDADES QUE TEM NOSSO NOME, BLOG DO CANAL DO JORDÃO.

Nenhum comentário: