Z1\

estamos acompanhando as obras do canal do jordão , desde o seu inicio até o final. queremos agradecer ao governo do estado, em especial a secretaria das cidades, através da cehab, pelo inicio desta obra. o movimento de luta pelo revestimento do canal do jordão vem lutando por esse sonho e só através de um governo popular, estamos vendo ele sair do papel. além das obras do canal, você pode ver as postagens antigas, que mostra como conseguimos esta obra.
este blog é seu,
divulgue-O


sábado dia 17 de abril, a vergonha continua

object style="background-image:url(http://i1.ytimg.com/vi/dfky3fL94po/hqdefault.jpg)" width="425" height="344">

rede globo homenageia dilson por sua luta peo canal do jordão

dilson martins

assista dilson agradecendo liberação de verbas para o canal do jordão ao presidente lula.

reportagem da rede globo

PRA CURITR

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

reportagem do diário de pernambuco sobre as obras do canal do jordão

Cidadão repórter/20/10/2010

Obra no Canal do Jordão para e preocupa morador

Pausa, prevista no cronograma da Companhia Estadual de Habitação e Obras (Cehab), não deve retardar a conclusão, marcada para abril

Júlia Kacowicz
juliakacowicz.pe@dabr.com.br

A imagem de um projeto que estampa a camisa de João Santos, de 51 anos, morador do bairro do Jordão, no Recife, é o sonho de toda vizinhança. Ter o canal do Jordão revestido e urbanizado. Algo que começou a ser construído no início deste ano com a promessa de modificar a vida da população, que teme o inverno pois, sempre que chove, o canal transborda e alaga ruas e casas. O sonho está mais próximo: cerca de 60% dos 2,6 km de extensão já foram revestidos. Mas, há alguns dias, as máquinas pararam e acenderam o alerta de que a obra não seja concluída no prazo. O cidadão repórter Dilson Martins postou o assunto no portal do Diario e garantiu que "o povo está atento".


João Santos teme a chegada do inverno, mas recebeu a garantia de que a urbanização do canal estará concluída. Foto: Edvaldo Rodrigues/DP/D.A Press
Segundo o internauta, além do revestimento do canal, o projeto incluía a pavimentação das vias laterais e o serviço de drenagem. Mas, desde o fim da semana passada, as obras estão paralisadas. "Se pegarmos outro inverno do jeito que está, vai tudo embora com a chuva e já não aguentamos mais", escreveu. A pausa estava prevista no cronograma de obras, segundo a diretora técnica da Companhia Estadual de Habitação e Obras (Cehab), Erika Luna. Ela justificou que o trabalho chegou em um local de ponto de encontro com uma adutora da Compesa, que abastece parte do Recife e de Jaboatão dos Guararapes. Com isso, os canos só poderão ser removidos depois que uma nova rede de abastecimento for instalada numa área ao lado, o que permitirá o retorno do serviço de revestimento sem a interromper a distribuição de água.

"Nós já entramos em acordo com a Compesa e as tubulações deverão chegar amanhã (hoje) ao local. A parada não deverá interferir no prazo de entrega", destacou Eryka. A diretora informou que a obra chegou nesse ponto, que fica nas margens da Avenida Maria Irene, no fim da semana passada e deverá permanecer paralisada por poucos dias. "Já conversamos com os engenheiros e o prazo deve ser cumprido", disse. Segundo ela, a conclusão do revestimento está mantida para fevereiro e a parte viária (das laterais do canal) para o fim de abril. O serviço completo está orçado em R$ 42 milhões, beneficiando diretamente cerca de 13 mil pessoas com a construção de conjuntos habitacionais (R$ 23,5 milhões), além da urbanização daquela área (R$ 18,5 milhões).

Confiança - Morador do bairro há 23 anos, João Santos usa a camisa que divulga o projeto sonhado como uma esperança. Na parte da frente está o desenho do projeto com o canal urbanizado e atrás, os dizeres "Movimento de luta pelo revestimento do canal". "Essa obra é resultado de muito trabalho e protesto nosso. Todo mundo conhece a situação daqui quando chove. Isso é uma questão de saúde e qualidade de vida para todos nós", afirmou. Ele disse que está confiante na conclusão do serviço, mas defende que o trabalho não pode parar por muito tempo. "Além de ninguém querer outro inverno sem o canal, a gente sabe como é# Se parar, não volta", disse.

As irmãs Maricleide e Marilene Ferreira de Oliveira, moradoras do bairro há 10 anos, também estão ansiosas para o fim da obra. "A gente querver tudo concluído, pronto. Só assim teremos tranquilidade e alegria de morar aqui", disse Maricleide. O projeto do Canal do Jordão é uma obra do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), que também inclui obras de drenagem pluvial e construção de pontilhões e de ciclovias.

Nenhum comentário: